Imprimir

link

“Carta” de Piúma ao Estado em suas esferas Federal, Estadual e Municipal e à Sociedade

As entidades participantes do Seminário Internacional – MEPES 50 Anos, Redes de cooperação emancipatórias na formação integral e desenvolvimento sustentável, com o objetivo de compreender os processos de integração e parcerias para a articulação e fortalecimento de redes de cooperação solidária, como estratégias das políticas de formação e desenvolvimento, reunidos de 16 a 19 de outubro de 2018, no Centro de Formação e Reflexão – MEPES, em Piúma – ES, com a participação de 12 (doze) países e 14 estados brasileiros, representantes dos Centros Familiares de Formação por Alternância, universidades, organizações sociais e instituições públicas, dentre outras, destacam:

• O Projeto Político Pedagógico que adota a Pedagogia da Alternância surge das experiências de resistência como direito à educação alternativa vinculada aos interesses dos sujeitos do campo. Projeto que se contrapõe ao modelo de educação reprodutivista, posicionando-se em prol de uma educação emancipatória dos seus sujeitos e pela transformação do meio;

• O modelo de produção no campo, organizado pelo agronegócio é denunciado por suas graves consequências expropriatórias de sujeitos, concentração de terras e capital. Esta, portanto, não é a alternativa possível aos povos do campo aqui reunidos;

• A Educação dos CEFFAs – Centro Familiares de Formação em Alternância está vinculada a um projeto de campo, com defesa da reforma agrária, a soberania alimentar, a soberania hídrica e energética e a agroecologia como matriz tecnológica, os direitos a cultura, a saúde, a comunicação, lazer, financiamentos públicos, em consonância com os pilares meios dos CEFFAs (gestão associativa e alternância como sistema educativo) e, com os pilares fins (formação integral e desenvolvimento do meio);

O cenário nacional e internacional vem revelando o retrocesso de algumas democracias pela configuração política adotada. Vivemos em alguns países, inclusive o Brasil, uma fase de aprofundamento do capitalismo dependente associado ao capital internacional, financiado pelo próprio Estado e legitimado por leis (reforma trabalhista, reforma do ensino médio, BNCC, PEC dos gastos, lei dos transgênicos...) que facilitam o saqueio, a apropriação de recursos naturais (terra, água, minérios, ar, petróleo, biodiversidade...) e da formação, recolonizam nosso território.

Em vista dessa conjuntura, reafirmamos as reflexões e propostas para estabelecer estratégias de emancipação para formação integral e desenvolvimento do meio, em vista dos desafios de um mundo em contínua transformação, a partir de debates e aprofundamentos dos Eixos Temáticos - “Por Redes de Parcerias e Cooperação”:

1. Famílias e participação associativa
2. Pedagogia da alternância e educação do campo
3. Formação Integral
4. Desenvolvimento Sustentável
5. Educação e Saúde
6. Financiamento e Políticas Públicas
7. Memórias e Imagens 50 anos MEPES.

Assim, os processos que envolvem educação e principalmente mudança de paradigma, como é o caso do desenvolvimento sustentável, através da agroecologia e da educação do campo, são desafios a ser vencido a curto, médio e longo prazo. Porém, muitas são as provas de que mudanças estão acontecendo, nos quatro cantos do planeta e não são poucas. A celebração dos 50 anos do MEPES e da Pedagogia da Alternância no Brasil provam que é possível e que os esforços valem a pena!

Em 50 anos esse foi o horizonte perseguido pelo MEPES e continua pela via da busca por outro modelo de produção, que se contrapõe ao agronegócio, ao capitalismo exploratório, dentre outros. O campo é de disputa e há do outro lado uma luta também pela mantença de seu modelo econômico. A Pedagogia da Alternância não se esvazia com o movimento da história, mas se reinventa em meio aos desafios. Temos consciência que a Pedagogia da Alternância se produz nas contradições da vida e que a clareza de seus princípios, pilares, mediações contribui na reinvenção frente aos novos desafios.

Viva a educação do campo!
Viva a Pedagogia da Alternância!
Viva as Redes de Cooperação Emancipatórias pela Formação Integral e por um Desenvolvimento Sustentável!
Viva o MEPES!

Piúma, 19 de outubro de 2018.